NATUREZA E CONSEQUÊNCIAS DA CONTAMINAÇÃO DE ÁGUA E FLUIDOS DE DIÁLISE

O fluido usado na terapia de diálise (fluido de diálise) consiste em concentrados de diálise e principalmente de água (as proporções comuns são 1:34 e 1:44). Enquanto o concentrado é comumente produzido comercialmente em uma composição consistente, a água usada pode variar amplamente em sua composição e qualidade. A fonte de água de diálise é beber água (torneira) que é submetida a uma cascata de purificação que envolve, entre outros, processos de membranas acionadas por pressão, como a osmose reversa (RO). A qualidade da água da diálise depende da sua fonte (águas subterrâneas, águas superficiais), da sua origem geográfica e geológica, variações sazonais e dos processos de tratamento de água utilizados e do seu desempenho.

 

COMO OS PACIENTES DE DIÁLISE SÃO EXPOSTOS À ÁGUA?

Normalmente, um adulto saudável é exposto (via ingestão) a 10-12 litros de água por semana. A água atravessa uma barreira seletiva do trato gastrointestinal e alguns contaminantes tóxicos são removidos pelo rim.

Em contraste, os pacientes em hemodiálise submetidos a sessões de diálise de 4 horas, três vezes por semana e são expostos a mais de 360 ​​litros de fluido de diálise por semana. Os fluidos de diise e, consequentemente, os contaminantes da ua (se presentes) podem passar atrav da membrana do dialisador n selectivo e, como resultado de uma funo renal limitada ou nula, um doente pode ter dificuldade em manter o seu equilrio normal de contaminantes. Além disso, as membranas altamente permeáveis ​​usadas nos dialisadores hoje resultam em maiores volumes convectivos e isso tem o potencial de aumentar o nível de contaminantes que passam através da membrana e consequentemente para o sangue.
Portanto, a qualidade química e microbiológica da água usada para diálise é essencial para evitar um risco adicional à saúde dos pacientes em hemodiálise.

ISO  Organização Internacional para Padronização ISO13959: 2014 – Água para hemodiálise e terapias relacionadas & ISO 11663: 2014 – Qualidade do fluido de diálise para hemodiálise e terapias relacionadas.

EBPG – European Best Practice Guidelines (2002).

EP – Farmacopeia Europeia (2014).

AAMI – Associação Internacional para o Avanço da Instrumentação Médica (ANSI / AAMI RD5: 2003).